Mônica Sangalo, irmã de Ivete, afirmou que o irmão Jesus ‘morreu de mágoa’; sentimento é capaz de desencadear doenças que matam, dizem especialistas

  •  
 
Jesus Sangalo, 54, irmão de Ivete, morreu no último dia 7 em devido a uma sepse

Montagem R7/AgNews
 

Mônica Sangalo afirmou que o irmão Jesus Sangalo, vítima de uma infecção generalizada, “morreu de mágoa”: “Há várias formas de morrer. Algumas suaves, outras nem tanto. Pode-se morrer de mágoa, que se disfarça em doenças de mil nomes”, escreveu ela nas redes sociais. A mágoa, por si só, não causa morte, mas desencadeia doenças que podem ser fatais, segundo especialistas.

“Se a mágoa perdura, cria um quadro de estresse crônico que leva à ansiedade, depressão e doenças cardiovasculares”, explica Rodrigo Leite, psiquiatra do Instituto de Psiquiatria da USP, em São Paulo. “Pode ocorrer hipertensão arterial e doença coronariana (entupimento das artérias que levam sangue ao coração). Com isso, a pessoa pode ter um infarto”, completa.

De acordo com o especialista, isso acontece porque a mágoa, quando se torna uma emoção constante, aumenta o nível de adrenalina no organismo – hormônio que eleva a pressão arterial, aumenta a frequência cardíaca e interfere no metabolismo de gordura.

Além disso, também ocorre uma desregulação do nível de cortisol, conhecido como “hormônio do estresse”. “Ele aumenta a quantidade de açúcar no sangue, o que pode predispor a pessoa ao diabetes e também aumenta a quantidade de gordura na região abdominal, favorecendo a obesidade”, esclarece o psiquiatra.

O psiquiatra Wimer Bottura Junior, presidente da ABMP (Associação Brasileira de Medicina Psicossomática), diz que todo sentimento – seja agradável ou não – é capaz de alterar processos bioquímicos do organismo e, portanto, causar doenças.

“Todas as doenças são psicossomáticas e isso não é frescura. Hoje se sabe que o psicológico e o corpo são uma coisa só”, afirma Bottura.

No caso da mágoa, ele observa que as pessoas perdem a espontaneidade e deixam de fazer aquilo que querem. “Essas mudanças comportamentais geram respostas bioquímicas que predispõem o organismo ao aparecimento de doenças, uma vez que afetam os hormônios e o sistema imunológico”.

O psiquiatra afirma que a manifestação de uma doença depende de duas condições: a necessária e a suficiente. “Para se ter uma infecção, por exemplo, é preciso ter a condição necessária, como uma bactéria, mas só ela não basta. É necessário ter a condição suficiente, que pode ser a imunidade baixa”, explica.

As doenças psicossomáticas mais frequentes são gastrite, úlcera, refluxo e síndrome do colo irritável – quando a pessoa evacua várias vezes ao dia, segundo o psiquiatra Rodrigo Martins.

Ele diz que, para se livrar do sentimento de mágoa, a pessoa precisa entender que a principal prejudicada com esse sentimento é ela mesma. “Fazer psicoterapia ajuda nesse processo. Praticar atividades físicas também contribui para o bem-estar”.

Wimer, por sua vez, aconselha expressar tudo o que se sente. “A maioria dos adoecimentos é consequência daquilo que não foi dito ou foi mal dito. Então, se a pessoa não diz o que se passa com ela, a chance de adoecer é maior”, observa.

 

Fontez: R7