Infelizmente, como bem sabemos, acidentes acontecem, e James Byrne passou por uma situação bem complicada. Ele trabalhava em uma empresa de construção e tinha como hobby a marcenaria; um dia, enquanto relaxava em sua oficina, cortou seu polegar da mão esquerda com uma serra.

Já no hospital, os médicos implantaram novamente o dedo cortado, mas após meses de tratamento — que teve inclusive o uso de sanguessugas —, o sangue não voltou a circular, e seu dedo ficou comprometido.

Por sorte, ele foi atendido no Frenchay Hospital, que possui reputação internacional em microcirurgia, procedimento que torna possível a religação de nervos, artérias, tendões e ligamentos com precisão. Depois de avaliar a situação, a equipe médica sugeriu a amputação de seu dedão do pé e sua posterior implantação onde estava seu polegar.

Ele foi alertado de que precisaria passar por um período de readaptação, pois a retirada do dedo do pé afetaria consideravelmente seu equílibrio e até mesmo a habilidade de andar, mas após algum tempo seria possível ter uma vida normal.

Dada a importância do polegar, ele aceitou, e a cirurgia foi realizada. O procedimento foi realizado em dezembro de 2010, e após 1 ano ele estava com o implante cicatrizado. Os movimentos do dedo ainda eram limitados, mas através de sessões de fisioterapia a flexibilidade seria aprimorada.

Após a cirurgia, as pessoas perguntam o motivo de seu dedo ser tão grande e inchado e, quando ficam sabendo, as reações são diferentes. Algumas sentem nojo, outras somente ficam espantadas. Ele ainda passará pela retirada de um arame que foi usado para ligar os ossos, mas espera poder retornar ao trabalho e jogar rugby o quanto antes. Estamos torcendo!